cabra-marcado-para-morrer

Antes de tentar entender a obra, precisamos conhecer o artista, e o nome em questão é Eduardo Coutinho. Durante sua vida, trabalhou como cineasta e jornalista, e é considerado por muitos o maior documentarista da história do cinema brasileiro. Acumulando em sua bagagem alguns filmes de ficção, curtas, médias e longa-metragens, o cineasta conquistou também alguns prêmios que elevaram o seu nome no cenário nacional e internacional com alguns trabalhos como “Santo Forte”, “Edifício Master” e “Cabra Marcado para Morrer”.

Em uma viagem ao Nordeste, Coutinho começou o que seria o argumento de Cabra Marcado para Morrer, após filmar o comício de Elizabeth Teixeira, viúva de João Pedro Teixeira, líder das Ligas Camponesas na cidade de Sapé, que foi assassinado a mando dos latifundiários. Inicialmente, seria um filme de ficção interpretado pelos próprios camponeses do Engenho Galileia, no interior de Pernambuco, mas o longa teve a sua produção interrompida devido ao Golpe Militar de 1964 com apenas duas semanas de filmagens.

Parte da equipe foi presa sob alegação de comunismo e alguns ficaram foragidos pelo país. O projeto só pôde voltar a ser rodado dezessete anos depois, em 1981, quando Coutinho reencontrou os negativos da obra que haviam sido escondidos da polícia por um membro da equipe. No entanto, ele decidiu mudar de rumo e realizar um documentário sobre o término das filmagens e a trajetória de vida dos atores durante o regime militar.

Começa assim o Cabra, um filme atemporal e importante não apenas para o cinema nacional mas também para a história do Brasil, mostrando como foi o início da ditadura no país e os causos dela. Muitos dos atores sociais vistos na película já haviam falecidos ou ainda estavam sem informações do seu paradeiro quando o diretor regressou ao Nordeste para continuar o projeto, porém os que ficaram mantinham a mesma disposição de participar do roteiro.

Os rostos das pessoas ao reverem a si mesmos e seus colegas nas cenas exibidas por Coutinho logo denunciam o sentimento de nostalgia vivido por eles. É como se as figuras esquecessem das marcas do tempo e relembrassem apenas da sensação de fazer parte do movimento ativista, mostrando que cada um tem a sua forma de lidar e ver a história. Nem mesmo o filme incompleto, as cenas fora de ordem cronológica e o percurso alterado do longa foram capazes de impedir que os telespectadores daquela noite se deslumbrassem com o que foi exibido.

Um dos principais destaques do filme é a sequência em que um grupo de camponeses liderado por João Pedro discutia o aumento do foro. A cena foi feita pelos próprios atores através de uma improvisação ocorrida antes da filmagem e, apesar do diálogo simplista contida no plano, torna ainda mais forte a retratação do movimento contada e vivida por eles.

Talvez o maior dos feitos que acompanham o filme não seja os prêmios ou os reconhecimentos dados à ele, e sim a libertação de Elizabeth. A viúva, que na época havia adotado o nome de Maria Marta Costa e ainda permanecia escondida por conta da perseguição sofrida, abandonou a vida clandestina, saiu de São Rafael (Rio Grande do Norte), onde viveu por 16 anos, e reassumiu seu verdadeiro nome. A vontade de reencontrar seus antigos amigos e os filhos que haviam sido separados dela é algo que poderia ter acontecido antes, mas que ainda precisava de um empurrão para este impulso.

Torna-se evidente, portanto, que Cabra Marcado para Morrer não é apenas uma obra a ser apreciada, um filme de superação ou um corte com imagens jogadas ao vento. Com atitudes, mesmo que tardias, como as de Elizabeth Teixeira e Eduardo Coutinho, o longa expressa uma mensagem de esperança, avisando que tem gente lá fora e que ainda há muito o que se desfrutar dessas pessoas.

Goles:

1: Ruim 2: Fraco 3: Bom 4: Ótimo 5: Excelente

3-goles

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s